Se quiser resultados diferentes, faça algo diferente…mas como?  

Uma confissão…

Eu tenho uma dificuldade que desconfio que muitas pessoas compartilham comigo. Eu fico com sono e não trabalho bem logo após o almoço. Em geral eu procuro insistir. Sento na frente do computador e luto contra o cansaço.

Mas não adianta, pouco depois estou passeando em algum canto da internet, em vez de me manter focada na tarefa mais importante. E aí fico chateada comigo mesma, prometo que vou mudar, tento, mas não consigo.

Você já fez isso? Prometeu para si mesma que não iria mais repetir o mesmo erro novamente. Mas sempre acontece… De novo. E de novo?

Aristóteles, o filósofo grego, disse:

“Somos aquilo que repetidamente fazemos.
Excelência, portanto,  não é um ato
mas um hábito.”
Aristóteles

Penso que  podemos dizer o mesmo de outros tipos de resultados. Os nossos fracassos também são habituais. Eu continuamente fracasso em ser produtiva logo após o almoço. Não exige esforço. E todo o esforço ao contrário parece que é ineficaz.

O que fazer com isso, então? Não almoçar :)? Seria, sem dúvida uma opção se não fosse o efeito colateral: fome.

O que fazer quando o que está fazendo não está funcionando e as alternativas não parecem viáveis? Einstein é acusado de ter dito que:

“A definição de insensatez
é repetir a mesma coisa
esperando resultados diferentes.”
Albert Einstein

É… vai que ele tinha razão? (A ficha às vezes demora a cair por aqui). Será que fico esperando que dê banana em pé de côco?

NÃO pense no macaco azul!

Fazer diferente é pensar fora da caixa. Mas tente isso. Tente não pensar em um macaco azul. Viu? Aposto que você pensou num macaco azul. Enquanto mantemos o foco em não fazer algo, na verdade continuamos focados exatamente no que tentamos evitar. O foco precisa mudar para que tenhamos uma chance de escapar do macaco azul e sair da caixinha.

Será que a solução está em não tentar? Então você diz: Bom, depende. Se você estiver pensando em “não tentar” como sinônimo de resignar-se, desistir, capitular – neste caso me oponho. Jogar a toalha não é solução, mas se você quis dizer “não tentar a mesma coisa” – como em colocar a questão de outra forma, concordo.

Virar a questão de cabeça para baixo

Se eu mudar a minha pergunta de: “Como vou fazer para trabalhar melhor após o almoço?”. Para: Qual é a melhor maneira para eu fazer o meu trabalho? Agora sim. Desse jeito tenho chance de parar de insistir no erro.

E fazer tentativas, muitas tentativas até acertar em alguma. Tais como: mudar o cardápio do almoço, trabalhar em pé (Posso informar que é possível cochilar até em pé. Não é seguro, mas possível.), entregar-se e tirar um cochilo, até chegar a uma que pareça funcionar um pouco melhor do que os outros.

No meu caso: aguardar as crianças dormirem para com a mente clara, trabalhar até depois de meia-noite. (O relógio está mostrando 00:17 enquanto escrevo isto).

É claro, que o meu “problema” não é exatamente um problema. É mais um capricho, uma bobagem de quem não tem problemas sérios para se preocupar. Mas ouso dizer que a mesma estratégia pode funcionar para um Problema tamanho GG.

Superando desafios na prática:

Para obter resultados diferentes, faça as seguintes perguntas:

1. O que não está funcionando?

Isto é, o que você têm tentado até agora? Com a melhor das intenções, mas não está funcionando.

Portanto, estas são as coisas que você vai parar de fazer…

2. Qual é a meta final que você deseja?

Dica: não é um método específico, mas o resultado que você quer ter. É importante separar estas coisas. Se achar difícil pergunte-se: Para que é que eu quero_______?

3. Como você pode colocar a pergunta de outra forma?

O segredo é pensar no seu objetivo final em vez de fixar-se num método.

4. Quais são algumas outras coisas que você poderia tentar?

Liste todas as suas ideias, mesmo as mais improváveis. Existem sempre mais de uma maneira de alcançar um resultado. Esta é a hora de colocar a cabeça fora da caixinha. Não se limite ao que parece plausível, realista, sensato 🙂 – o que é realmente novo jamais parece plausível num primeiro momento.

5. Que outras maneiras de lidar com isso você já testou? O que deu certo?

Quando foi que você teve um bom ou excelente resultado antes? O que você fez para conseguir? Mesmo que não seja no mesmo contexto ou relacionado ao mesmo assunto, veja o que você pode aprender com experiências bem-sucedidas anteriores.

Qual é o desafio que você quer superar e o que você vai tentar fazer diferente? Deixe seu comentário aqui.

E se você descobriu algum jeito para manter-se focado nas suas tarefas mais importantes continuo interessada também… 🙂

Comentários
Recent Posts